FANDOM


Feppered/The Sims 4 não terá piscinas nem bebês, afirma Ryan Vaughan
Andre e Ollie

O The Sims 4 está muito próximo de seu lançamento (2 de setembro de 2014) e, com isso, muitas notícias positivas e negativas sobre o mesmo vem surgindo, entre elas a que mais decepcionou os fãs: The Sims 4 não terá piscinas nem bebês em seu lançamento. Pelo menos é o que afirma a matéria veiculada pelo site IGN.

O desenvolvedor Ryan Vaughan [1] explicou que tanto as piscinas quanto os bebês devem ser introduzidas ao game posteriormente, contudo, não garantiu que isso realmente vá acontecer.

As mudanças irritaram os fãs da franquia, que veem na ausência uma maneira dos produtores da Maxis lucrarem com a introdução desses em uma futura expansão. Além disso, sem os bebês, a linha de crescimento e tempo muda, já que os Sims ficarão com um estágio a menos de vida.

Vaughan negou que essa seja a razão, porém não descartou a vinda de vários recursos em expansões futuras. "Admitimos que muitos de vocês ficarão desapontados com a falta das piscinas e bebês quando o módulo básico do The Sims 4 for lançado, em setembro. Mas vocês deveriam saber que estamos construindo uma fundação extremamente sólida capaz de preencher cada um de seus desejos nos anos que virão".

Todavia, a Maxis, então, explicou melhor o porquê da ausência desses no jogo. Você pode ler a notícia clicando aqui (matéria em inglês).

Mesmo que pareça algo bobo, as piscinas e os bebês estão presentes desde o primeiro jogo da franquia. Por isso, muitas pessoas já começaram a criticar o The Sims 4 por isso.

Atualização


Em 04 de novembro de 2014, foi lançado um patch que acrescentou as piscinas novamente ao jogo. Foi o sétimo patch lançado para The Sims 4.

Porém ainda não se sabe sobre o paradeiro dos bebês, mas há boatos que os produtores pretendem acrescentar, em alguma expansão ou pacote de jogo, estágios de vida novos, como pré-adolescentes e adolescentes independentes (esse que ia ser adicionado em The Sims 2, mas foi substituído pelos jovens adultos em Vida de Universitário). O que nos basta é esperar.